Jon Jones vs Vitor Belfort

Quem é Jon “Bones” Jones? Provavelmente o melhor lutador de MMA de todos os tempos, Fedor e Anderson Silva são lendas, mas Jones só tem 25 anos e pelo menos mais uma década pra escrever seu legado.

O UFC 152 ficou marcado pelo cancelamento do UFC 151 e toda a história que citei no post anterior, e por esse ótimo duelo de gerações e fenômenos.

Vitor lutou muito bem, fez exatamente o que eu achava que ele não deveria fazer: ficar por baixo de Jones. Mas ele tava confortável, sabia o que tava fazendo e já no 1º round o Jiu-Jitsu parecia ser o modo que o campeão seria derrotado.

Eu gritei tanto quando o Belfort pegou o braço dele no arm-lock, tava justo e bem encaixado, mas após a luta Jones revelou que não ia bater, só sairia de braço quebrado. Faltou muito pouco pra quebrar, o Vitor revelou ter ouvido um estralo e Jon apareceu de tipoia na pós-coletiva.

Essa foto vai ser eternizada, como aquela do Shogun voando pra cima do Arona no Pride:

Belfort tinha que explodir, tinha que entrar a mão e ouvir o corner gritando: “NÃO QUERO QUE PUXE PRA GUARDA! CADÊ A ESQUERDA?”, mas ele não conseguiu achar a distância devida a envergadura monstra (2,15m) do americano. Jones manteve facilmente a distância, principalmente com chute.

Num dos vídeos pra divulgar a luta Jon disse que Vitor já tinha lutado com lutadores bons em várias artes, mas nunca tinha pego um tão completo quanto ele. Estava certo.

Um campeão que veio do wrestling, tem vários kos e tkos, mas nas suas 4 defesas de cinturão finalizou 3 e aposto que ele nem treina de kimono!

Como será a carreira de cada um agora? Eu torço pro Vitor ficar nos 93kgs, me pareceu bem mais preparado e forte do que quando luta nos médios, e teria muita luta boa pra gente assistir.

E Jon? Falou de subir de peso em 2013, dizem que lá sim ele seria testado, já que a LHW um dia foi a categoria mais agitada e ele limpou ela. Até os 93kgs não tem ninguém que vença ele, isso inclui Anderson Silva, mas até 120kgs nomes como Cigano e Overeem me veem à cabeça.

Por fim:

Valeu Vitor Belfort, lutou muito bem; quase finalizou e honrou o desafio. Independente do resultado o Brasil já estava orgulhoso.

Foto da finalização (americana):

PS: “Lucas Santana vs Vitor Belfort”, só aconteceria se ele descesse pros 77kgs =D

Anúncios
Vídeo

WAR BELFORT

“Não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez.”

Nunca imaginei essa luta. Vitor Belfort seguia firme nos médios, havia boatos que estava a umas 2 lutas do cinturão e nem sequer pensava em ir pro meio-pesados; até acontecer aquela quinta-feira negra pro UFC (23/08).

 Resumindo a história: Hendo que ia lutar com o Jones zuou o joelho treinando e o evento não tinha outra luta tão boa pra substituir. Daí ofereceram o negão pro Lyoto, depois pro Shogun, e o Sonnen entrou na confusão e só sei que quando acordei no outro dia Belfort iria disputar esse cinturão.

 Acredito no Vitor, é um caras das antigas que passou por muita coisa dentro e fora do octógono pra ser o que é hoje. O cara é rápido, explosivo, forte, técnico e segue os instintos, mas a sua maior arma contra o Jones é o seu psicológico. Veja essa frase do vídeo:

 “Mas quer saber, eu estou preparado aqui dentro (na mente). E é isso que conta. Quando aquela porta fechar, as chances serão de 50/50. E não me importa sua previsão, me importa a minha previsão. Eu me importo com o que Deus acha.”

 Essa autoconfiança é imprescindível, porque quando fechar o cage e o Jon Jones estiver na sua frente… boa sorte!

  Torço, confio e sei que o Belfort tem chances; todo desafiante ao cinturão é o top contender, ele não é o campeão mas está a um passo de ser, é o segundo melhor da categoria.

 O Vitor tem que vim pra pegar ele igual aos UFC de 97, vai ter que explodir e mostrar o quanto sua mão é pesada. Vai ter que mostrar seu chão se cair por baixo e não cometer nenhum erro; essa luta perde quem errar primeiro.

 Só que Bones não é um campeão qualquer, eu vou me conter em elogios porque sou muito fã dele. Eu vi a categoria mais movimentada do UFC ser dominada por um garoto de 24 anos, derrotando todos os tops e de forma arrasadora. Não gosto nem de lembrar de ver o Lyoto caindo apagado.

Jones vs Belfort, essa luta tem de tudo pra entrar pra história.

Volta ao mundo em 80 dias

Imagem

Por acaso fui na banca e vi uma coleção de relógios de bolso históricos, o primeiro era do Otto Bismarck e não me interessou, mas quando vi o segundo com as iniciais JV eu tive que comprar.

Júlio Verne é um escritor francês de ficção-científica, li alguns livros dele quando criança como “20.000 léguas submarinas” e, claro, “Volta ao mundo em 80 dias”.

Apesar de “20.000 léguas” ser o meu preferido, “Volta ao mundo” me influenciou demais. O personagem principal é Phileas Fogg, um inglês-perfeito do século XIX; metódico, calculista e frio, características de vilão, mas é um mocinho.

Nem lembro de detalhes da história, mas tem uma curiosidade que eu nunca esqueci, Fogg sabia quantos passos ele dava da sua casa até o Clube Reformador que frequentava; e isso é algo que é muito minha cara, apesar de nunca ter contado passos à lugar nenhum. Percebo que isso só é a minha cara hoje, porque foi algo que li quando pequeno.

Além disso, eu gosto de relógios de bolso. Já tive um quando tinha uns 8 anos, não sei ao certo se foi quando li esse livro (que é muito provável), mas era incomum uma criança do século XXI com um relógio de bolso.

O que eu mais gostei é que esse relógio além de ter as iniciais JV é um modelo do Fogg, que usa o tempo todo pra não perder a hora ao redor do mundo e concluir a volta nos 80 dias. É o único dessa coleção que tem contador de segundos, que representa a pontualidade britânica.